.:XXVI CONACI:.

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir
NA CRISE É QUANDO OS EMPREENDEDORES APARECEM E
CRESCEM, AFIRMA PALESTRANTE QUE VAI AO XXVI CONACI


Antropólogo, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior; autor de 28 livros e mais de 500 vídeos e DVDs. Isso é um resumo do currículo de Luiz Marins, uma das atrações do XXVI Congresso Nacional de Corretores de Imóveis (Conaci), que acontece de 4 a 6 de setembro, no Centro de Convenções de Bonito, no Mato Grosso do Sul, com a proposta de debater o mercado imobiliário em tempos de Brasil passado a Limpo.

Para o professor Marins, como é mais conhecido, é justamente em momentos de crise, como agora, que os empreendedores mais aparecem e crescem: “Crise, em grego, é ‘peneira, separação’. Assim, em momentos de crise fica mais evidente que somente os que ousam, acreditam e tentam passam por essa peneira. A capacidade de transformar sonhos em resultados é própria desses empreendedores”, afirma.

Além do professor Marins, o XXVI Conaci reunirá uma série de atrações de renome.  Confirma a lista de palestrantes e conferencistas do evento: o ex-senador Pedro Simon, que tem 60 anos de vida pública; o desembargador Sylvio Capanema, especialista em Direito Imobiliário; o antropólogo e professor Luiz Marins; o historiador e professor Leandro Karnal; Leila Navarro, palestrante motivacional das mais requisitadas, atração do V Fórum da Mulher Corretora de Imóveis; a ex-jogadora de basquetebol Hortência, apontada como uma das melhores do mundo no esporte; Marcelo Dadian, especialista em Marketing e Inovação pela Universidade de Stanford (EUA); o professor Pachecão, sucesso nacional em palestras motivacionais; Eduardo Peres, consultor empresarial, mágico e humorista, com palestras realizadas em sete países; Teotônio Rezende, diretor nacional de Habitação da Caixa Econômica Federal, Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP,Sindicato da Habitação; João Diniz Marcello, especialista em avaliação imobiliária; Flavio Amary, recentemente empossado presidente do Secovi-SP, o maior sindicato imobiliário da América Latina;  Laerte Temple, especialista certificado em criatividade na solução de problemas pela Creative Education Foundation (EUA).

As inscrições para o XXVI são online. Leia a entrevista com o professor Marins e faça agora mesmo sua inscrição.

No seu livro "Homo Habilis - você como empreendedor", o Sr. enaltece os brasileiros que "conseguiram transformar seus sonhos em ações e suas ações em resultados" (Editora Gente, 2005). O que mudou de lá para cá?  Como o Sr. analisa o ato de empreender hoje, em meio ao desemprego, crise econômica e descrédito em relação aos políticos?

É justamente em momentos de crise que os empreendedores mais aparecem e crescem. Crise, em grego, é "peneira, separação". Assim, em momentos de crise fica mais evidente que somente os que ousam, acreditam, tentam passam por essa peneira. A capacidade de transformar sonhos em resultados é própria desses empreendedores. Há poucos dias entrevistei o Alessandro Bomfim, fundador das escolas Saga e Axis. Ele tinha todas as condições para fracassar e venceu apesar de todas as crises e isso acontece muito e vejo isso diariamente agora, mesmo em meio à crise que estamos vivendo.

Quais são as recomendações básicas para quem pretende ter seu próprio negócio nos dias atuais?

Humildade. E humildade vem de húmus (terra), a mesma origem de humanos. O que quero dizer é que é preciso ter os pés fincados na terra, embora a cabeça possa – e às vezes até deva – estar nas nuvens, no alto. Assim, é preciso lembrar que para crescer com solidez é preciso dar um passo de cada vez e ter bom os olhos no caixa. O ditado latino "festina lente" (apressa-te devagar) é muito bom para que o empreendedor entenda que deve ser ágil, mas nunca apressado. Que ele nunca queira atropelar seu próprio sucesso.

É correto dizer que empreendedorismo anda de mãos dadas com inovação?

Sem dúvida. Mas é preciso lembrar que inovação nem sempre significa "tecnologia avançada". O empreendedor de sucesso será sempre um inovador, pois ele enxerga o que os outros não veem e transforma essa visão em resultados.

Como o Sr. vê a categoria dos corretores de imóveis e que dicas daria para que superem as dificuldades do momento e tenham mais sucesso em seus negócios ?

É preciso que os corretores estudem muito seus clientes e prospects (possíveis clientes futuros). O corretor tem que estar antenado com a realidade de sua região, de sua cidade e principalmente usar a informação e transformar a informação em conhecimento para poder ter sucesso. Sempre tenho dito aos corretores de imóveis que a atual crise é uma questão de ótica. Quando pergunto se hoje está bom para vender imóveis ou para comprar imóveis, todos me respondem que hoje está bom para comprar. No entanto, é importante observar o seguinte: Se está bom para comprar, de quem eu posso comprar? Obviamente de um corretor de imóveis. Ora, se isso é verdade, só pode estar igualmente bom para vender. Como pode alguma coisa estar boa para comprar e não estar boa para vender. O fraseamento correto seria: está bom para comprar e, portanto, está excelente para o corretor que tem os imóveis para vender.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                             © Copyright 2016 .:XXVI CONACI:. Todos os direitos reservados.