.:XXVII CONACI:.

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

BRASIL É MERCADO ESTRATÉGICO, DIZ GESTOR
DE IMÓVEIS PORTUGUÊS QUE VIRÁ AO CONACI

“O Brasil é considerado para o Grupo André Jordan um mercado estratégico. Por isso, iremos manter o nosso investimento em promoção no país, como também tencionamos aumentar esse investimento, abrindo a nossa presença em Estados que as imobiliárias e os incorporadores portugueses não atendem. Queremos tratar o cliente brasileiro, de norte a sul, da mesma forma e com a mesma atenção. Por este motivo, procuramos parcerias com imobiliárias locais que estejam focadas em promover imóveis no exterior, notadamente em Portugal.”

O comentário é de Bruno Martins, graduado em Gestão de Imóveis pela Escola Superior de Atividades Imobiliárias (ESAI), de Lisboa, e atualmente diretor de vendas do Belas Clube de Campo, empreendimento do Grupo André Jordan, em Portugal.

Profissional de vasta experiência, Martins integrará painel que vai debater o mercado imobiliário no Brasil e no exterior, dentro do XXVII Congresso Nacional de Corretores de Imóveis (Conaci), que acontece de 4 a 6 de setembro, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, com a palavra de ordem de que “hora de mudar é agora”.

“Crescer no mercado internacional faz parte da nossa estratégia, e o Brasil é uma escolha natural, não só pelas raízes brasileiras do Grupo – os empresários André Jordan e GilbertoJordan são cariocas –, como também pela ligação da empresa, há vários anos, com o mercado do país, por conta do desenvolvimento do Edifício Chopin, no Rio, e do Edifício Esplanada, em São Paulo”, explica Martins, destacando que a incorporadora atende mais de 2.500 clientes brasileiros de vários Estados, devendo iniciar em setembro um Road Show que vai passar por vai passar por Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro.

Veja a seguir íntegra da entrevista com Bruno Martins, uma das muitas atrações do XXVII Conaci, para o qual você pode fazer online a sua inscrição:

O Sr. é diretor de vendas do Belas Clube de Campo, um empreendimento do empresário André Jordan, brasileiro, do Rio de Janeiro. Em que consiste este empreendimento e o que ele representa no mercado imobiliário português e em termos mundiais?

O Belas Clube de Campo é hoje uma referência internacional e é considerado por muitos como o destino de eleição na capital Portuguesa. É um caso único em toda a Europa, pois trata-se de um Clube de Campo inserido numa capital a 15 minutos da Praça do Marquês de Pombal e da Avenida da Liberdade, ou seja, do Centro de Lisboa. Trata-se de uma comunidade residencial inaugurada em 1997, onde André Jordan utilizou toda a experiência adquirida na criação e desenvolvimento de projetos de alto padrão como a Quinta do Lago e Vilamoura XXI. Um espaço onde domina a excelente qualidade arquitetônica, perfeitamente integrada com a beleza paisagística, sem faltar as infraestruturas, a segurança e serviços necessários ao dia-a-dia dos residentes e visitantes.

Está inserido nos mais de mil hectares de floresta da Serra da Carregueira, a 15 minutos do centro de cidade, das praias de Cascais e do Estoril, da histórica Vila de Sintra, ou seja, totalmente central na zona da Grande Lisboa. É o local ideal para as famílias, amantes do golfe e apreciadores da tranquilidade e Natureza, mas que não prescindem da proximidade do centro urbano.

O Belas Clube de Campo já está totalmente ocupado? Apurei que uma porcentagem dos compradores é de fora de Portugal. Isso procede? Há muitos brasileiros nesse grupo?

O Belas Clube de Campo é hoje um empreendimento consolidado, com mais de 20 anos, e conta atualmente com mais de 750 famílias de 26 nacionalidades, a mais baixa densidade populacional de uma zona residencial na área da Grande Lisboa. A nova fase do empreendimento, o Lisbon Green Valley, é uma continuidade do projeto já existente e vem responder à crescente procura no nosso produto.

Na nova fase do empreendimento assistimos a uma crescente procura internacional, a qual representa já 73% das vendas no Lisbon Green Valley. O Brasil lidera a procura (45%), seguindo-se Portugal (27%), Bélgica (9%), Grã-Bretanha (5%) França (5%) e outros mercados internacionais (9%).

Face aos excelentes resultados – onde foram vendidas em tempo recorde a totalidade dos produtos –, o grupo vai avançar, até ao final do ano, com a construção e a comercialização de mais três tipologias de produtos: um lote com 16 Apartamentos, 15 townhouses em banda e um conjunto de oito townhouses geminadas (um a três dormitórios), além dos terrenos para construção de moradias unifamiliares já disponíveis.

Além disto, o Lisbon Green Valley vai ainda receber uma Escola com ensino bilingue (com abertura prevista para o ano letivo 2018/2019) e tem disponível um projeto para uma unidade de saúde e um Centro Hípico.

Portugal tem despertado um forte interesse dos brasileiros em termos de moradia e em termos de investimentos. Como o Sr. analisa esse movimento? O que atrai os brasileiros em relação a Portugal em termos de investimento, especialmente no que se refere ao mercado imobiliário?

Há cinco anos que visitamos regularmente o Brasil, mas só há pouco tempo, cerca de três anos, o cliente brasileiro descobriu Portugal como destino para viver, ou para segunda moradia. Até lá só pensavam em Orlando, ou Miami. Nessa altura começamos a ir a feiras e a falar com corretores locais para atrair esse perfil de cliente para Portugal. Em 2016 abrimos uma loja própria no Fashion Mall, no ano passado estivemos presentes com vários eventos e reuniões no Rio e São Paulo e este ano vamos iniciar um novo Road Show por diversas localidades. A procura e interesse têm sido muito e queremos dar resposta e retribuir o interesse no nosso resort.

A maioria dos brasileiros pretende fugir da insegurança e da instabilidade que se vive no País. Descobriram Portugal pelas suas qualidades como: segurança; qualidade de vida; moeda forte (euro); língua comum; histórica relação entre os países; boa educação escolar e universitária; qualidade dos serviços de saúde; e por ser uma porta de entrada na Europa. Alguns regimes fiscais e de facilitação na obtenção de visto de residência são também fatores que chamam a atenção.

Desta nossa experiência de promoção no Brasil identificamos vários perfis de investidores: os clientes que apenas querem investir pelo retorno, alugando os seus imóveis; os clientes que procuram sair do Brasil para morar em Portugal e, para além da qualidade do produto, o local é fundamental pelas suas características (localização, segurança, escola etc.). Por fim, aquele que nós chamamos o cliente do “Plano B”, que é aquele que compra um imóvel ainda sem a intenção de vir morar em Portugal, mas, se isso vier um dia a acontecer, já terá de ser um imóvel que se adapte às características e necessidades da sua família.

Qual o porcentual do crédito imobiliário em relação ao Produto Interno Bruto em Portugal? Aqui no Brasil essa relação não chega a 10%. Qual sua visão sobre o mercado imobiliário no Brasil? Ele atrai alguma atenção dos investidores portugueses? Em quais segmentos?

Em Portugal o percentual de crédito imobiliário em relação ao PIB situa-se nos 70%, ligeiramente acima da média europeia que se situa nos 60%. No entanto, os processos de financiamento na Europa são bem diferentes da realidade brasileira (moeda forte, taxas baixas e mercados estáveis). Na minha opinião, a comparação entre os indicadores dos dois países não faz grande sentido, pois são mercados totalmente diferentes.

Os processos de investimento são cíclicos. Há uns anos eram os portugueses que viajavam para o Brasil na procura de melhores condições de vida. Agora assistimos ao movimento inverso. Nos últimos anos são os Brasileiros que procuram Portugal, mas não só... Portugal está na moda. É considerado pelo Global Peace Index com o 3º país mais seguro do mundo. Da mesma forma, foi considerado pelo The Moove Channel o 3º melhor país para se investir em imobiliário a nível global.

No centro desta procura está a cidade de Lisboa, que foi considerada pela CNN Travel como a cidade mais “cool” da Europa, assim como a Revista Monocle, especialista em Lifestyle de alto padrão, considerou Lisboa a 16ª cidade com melhor qualidade de vida a nível mundial.

Este interesse por Portugal tem promovido crescente procura por parte dos brasileiros de produtos de qualidade. O Belas Clube de Campo e o Lisbon Green Valley, são um modelo de produto muito apreciado por estes clientes que tem recebido muito bem a nossa oferta. Todos os dias recebemos contatos e todas as semanas recebemos visitas de potenciais clientes vindos do Brasil.

 

                                             © Copyright 2018 .:XXVII CONACI:. Todos os direitos reservados.